1 - Porto de pesca de Peniche

2 - Molhe-oeste, quebra-mar começado a construir em 1953

3 - Molhe-leste, quebra-mar começado a construir em 1946

4 - Praia do Medão Grande, na qual, 1589, desembarcou D. António, Prior do Crato, com uma armada de alguns milhares de soldados ingleses, postos à sua disposição por Isabel Tudor, raínha de Inglaterra, numa tentativa de expulsar o rei castelhano D. Filipe I que, à altura, ocupava o trono Português.

5 - Aldeia e praia da consolação, cujo clima, bastante iodado, é recomendado no tratamento de doenças ósseas. No extremo do promontório rochoso ergue-se o Forte de Nossa Senhora da Consolação, construído no século XVII e cuja muralha meridional se arruinou aquando do terramoto de 1755.

6 - Fortaleza de Peniche. A fortificação de cor amarelada e de forma circular é a torre do chamado baluarte do Redondo, construído entre 1557 e 1558, nos reinados de D. João III e D. Sebastião. É a defesa mais antiga da peninsula de Peniche que, aliás, está quase toda ela praticamente rodeada de fortificações defensivas. A fortaleza propriamente dita, construída como que em complemento, foi começada depois da retauração e concluída em 1645, no tempo de D. João IV.
É depois da torre de S. Julião da Barra, em Oeiras, a fortaleza militar mais importante de todo o litoral Português, chegando a ser considerada, pelo Barão de Saint-Pardoux, como a "Gibraltar de Portugal" nela estiveram sediadas tropas francesas da 1ª invasão, e também liberais e as miguelistas; nela se abrigaram, no final do sec. XIX, alguns refugiados políticos Brasileiros, e no princípio do sec XX, alguns "boers", refugiados das guerras travadas com os Ingleses na África do Sul.
De 1930 a 1974, foi utilizada como prisão política do Estado Novo.
Hoje, é um local de lazer e actividade cultural.

7 - Pontão chamado do Alto da Vela, provavelmente porque, em tempos remotos, os pescadores aproveitariam a sua situação para transmitirem inidcações a quem andava no mar.

8 - Toda a costa sul da península de Peniche é recortada de estreitos carreiros, que entram como veias pelo corpo da terra adentro. Este é o primeiro, o chamado carreiro do Alto da Vela.

9 - Carreiro do Cortiçais, pelas suas características, chegou a ser aproveitado para viveiro de lagostas.

10 - Porto da Areia. Pequena baía com uma praiazinha romântica e muito ligado aos costumes ancestrais da população local. Foi deste local que se arrancou a pedra indíspensavel para a conostrução dos dois quebra-mares do porto. Também aqui existiu, em tempos, uma fortificação militar, para evitar possíveis desembarques de inimigos.

11 - Carreiro do Inferno, assim chamado talvez porque, pela sua estreiteza o mar entra mais revolto e violento, no açoite da penedia.

12 - Carreiro de Joanes. À direita, o chamado Painel das Pombas e, à esquerda cavada a meio da encosta, a gruta dos paços de Leonor, a que se encontra ligada uma famosíssima lenda de dois jovens enamorados - Rodrigo e Leonor - que, às escondidas das famílias que se odiavam, ali encontravam o seu romântico ninho de amor.

13 - Gruta da Furninho. No século passado foi ali descoberto um riquíssimo espólio Pré-Histórico - de osdas humanas, restos de animais de espécies ja desaparecidas e indústrias humanas - o que transformou este local no mais importante testemunho, até hoje conhecido, da era quaternária em Portugal.

14 - Ponta das Gaivotas e Ponta de Leste. Apartir daqui, as arribas da costa são mais imponentes.

15 - Carreiro do cabo. No seu prolongamento, estende-se montões de camarinheiras perfumadas, tornando o local um dos mais agradáveis de passeio, repouso e saudáveis da Península Penicheira.

16 - Laje dos pargos, um dos mais procurado pesqueiros da costa.

17 - Cabo carvoeiro, com altura de cerca de 35 metros. No seu extremo, onde em tempos existiu o fortim de N. Senhora da Vitória, para defesa da costa encontra-se hoje um restaurante-casa de chá de onde se disfruta um belíssimo panorama.

18 - Nau dos Corvos, estranho e importante monolito, que a tradição assim baptizou por, de determinada perspectiva, dar a ilusão de um castelo de popa de uma nau que, no local tivesse naufragado e, teimosamente, se não deixasse naufragar.

19 - Farol do Cabo Carvoeiro, com uma altura de cerca de 25 metros acima do nível do mar. Foi construído em 1779, e é essencialmente formado por uma torre quadrangular, caiada de branco e arestas de pedra nua, encimado por uma cupula vermelha, envidraçada, para a qual interiormente se sobe por uma estreita escadaria em zig-zag em lances que prefazem 101 degraus. Em 1866 foi criado nas suas proximidades, uma estação telegráfica e semafórica, de grande utilidade para a época, entretanto extinta.

20 - Arquipélago das Berlengas, constituido pela ilha principal, a Berlenga (com cerca de 1500m de comprimento e 800 de largura), o cerro da velha, os Farilhões (Farilhão Grande, Farilhão da Cova e Rabo de Asno), as Forcadas e as Estelas (Estela, Estelão, Pedra de Manuel Jorge, Pedra Redonda, Pedra de Todo o Peixe, Guilhão, Mula, Broeiro, Meda do Norte e Meda do Sul).